Atualizado 25/01/2019

Santa Catarina fecha 2018 com saldo positivo de 41,7 mil empregos

Dados do Caged referente a dezembro do ano passado foram divulgados nesta quarta-feira

Santa Catarina terminou 2018 com o saldo positivo de 41.718 empregos, apontam os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), referente a dezembro, divulgados nesta quarta-feira. Ao longo de todo o ano passado foram concretizadas 981,3 mil contratações contra 939,6 mil demissões.

 

O resultado é 41,7% maior que o total registrado em 2017 (29,4 mil) e também é o melhor saldo desde 2014, quando SC tinha criado 53,5 mil postos de trabalho (conforme o saldo ajustado). Apesar disso, o saldo de 2018 ainda não superou os anos pré-crise. No saldo anual SC é o Estado com o terceiro melhor desempenho em todo país, atrás apenas de Minas Gerais (81.919) e São Paulo (146.596).

 

No consolidado do ano, o setor de serviços (26,2 mil) e do comércio (10,2 mil) foram os que tiveram o melhor desempenho do período. Outras quatro áreas também fecharam os últimos 12 meses com saldos positivos: indústria da transformação (4.911), serviços industriais de utilidade pública (1.091), construção civil (658) e extrativa mineral (71).

 

Ainda conforme o Caged, a agropecuária (-976) e a administração pública (-564) foram os únicos dois setores que terminaram 2018 com maior número de demissões na comparação com as contratações.

 

No acumulado do ano, Joinville foi o destaque do Estado na geração de empregos com saldo positivo de 9 mil vagas. Florianópolis aparece em segundo lugar com a geração de 2,6 mil postos de trabalho. Chapecó (1,6 mil), Palhoça (1,4 mil) e Brusque (1,3 mil) aparecem na sequência também com resultados positivos no saldo anual.

 

Dezembro fechou 22,6 mil vagas

Mesmo com o resultado positivo no acumulado do ano, no decorrer do mês de dezembro o número de demissões superou o de admissões em 22,6 mil vagas. Em dezembro de 2017 Santa Catarina também terminou dezembro com saldo de empregos negativo (-22,2 mil).

 

Entre os oito setores analisados, a indústria da transformação foi o que registrou pior desempenho entre os demais, fechando o período negativo em 15,8 mil vagas. Ao todo o setor admitiu 9,4 mil trabalhadores com carteira assinada, mas demitiu 25,2 mil. Também demitiram mais do que contrataram os setores da administração pública (-5,1 mil), construção civil (-2,8 mil), agropecuária (-1,3 mil), serviços (-739) e extrativa mineral (-24).

 

Apenas dois setores fecharam dezembro com desempenho positivo: comércio (3.135) e serviço industriais de utilidade pública (150). Este último impulsionado principalmente pelas contratações temporárias para as festas de fim de ano e temporada.

 

Saldo positivo também no cenário nacional

 

Nacionalmente o saldo do desempenho do mercado de trabalho também fechou o ano no azul com a criação de 529,5 mil empregos com carteira assinada. Este foi o primeiro resultado positivo anual depois de três anos de retração no emprego e também é o melhor desempenho desde 2013, quando foram gerados 1,1 milhão empregos na série com ajustes.

 

Em 2017, também na série com ajustes, houve retração de 20,8 mil postos de trabalho. Em 2016, a perda de empregos com carteira assinada foi de 1,3 milhão. Já em 2015, foram fechadas 1,5 milhão de vagas formais.

Fonte: Nsctotal.com.br
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções